Para muitos, a ideia de poder mudar o mundo é uma coisa longínqua e complicada e, quando se é criança, essa tarefa parece ainda mais inatingível. Mas a Atividade de Enriquecimento Curricular (AEC) “Pequenos Heróis”, desenvolvida pela ATB em vários agrupamentos escolares, mostra aos mais novos que é sempre possível melhorar as coisas à nossa volta. Por onde quer que passa tem sido um sucesso!

Foi o caso da EB1 da Chamusca onde um grupo de cerca de 30 alunos, com idades entre os 6 e os 9 anos, foram desafiados a fazer qualquer coisa pela comunidade. A mentora Ana Patrícia conta que está bastante generalizada entre as crianças a ideia de que existem muitos idosos “tristes, isolados e muito sozinhos no seu dia a dia”. Foi por isso, com muita naturalidade, que decidiram melhorar o “bocadinho do mundo” dos idosos do Centro de Apoio Social da freguesia de Ulme.

Os alunos tinham estado a trabalhar emoções e talentos, a descobrir quais eram o superpoderes de cada um, por isso foi fácil juntar ideias para animar uma tarde inteira. Um ensaio geral organizou as prestações individuais e a visita acabou por exceder as expectativas de todos. “Houve uma grande participação dos seniores e grande interação entre todos”, refere Ana Patrícia. “Sentimos que ficaram admirados e gostaram verdadeiramente daquele bocado”.

Enriquecimento Curricular

A maior surpresa ficou para o fim. Foi aberta uma mala cheia de abraços que juntaram pequenos e grandes num momento emocionante de mimos, que “apanhou de surpresa os mais velhos, que não estão habituados a estas coisas, nem estavam à espera”.

Este programa da Associação Tempos Brilhantes trabalha diferentes estratégias que promovem o desenvolvimento das crianças e dos jovens, juntando a escola, as famílias e a comunidade. É um tempo aberto à inclusão e à promoção pessoal e coletiva, livre de planos curriculares e de planificações gerais e pré estabelecidas. As crianças trabalham sob uma metodologia de trabalho por projeto e educação pelos pares, desenvolvendo um trabalho ou projeto no qual que se revelem como “pequenos heróis”.

Na maior parte dos agrupamentos esta atividade é trabalhada durante todo o ano, num dia certo da semana. Mas na Chamusca o Município decidiu atribuir-lhe quatro dias por semana, durante um período inteiro. De acordo com a mentora Ana Patrícia, esta opção de organizar a atividade mais concentrada no tempo,  tem a vantagem de “reforçar a relação entre todos, aumentar a motivação e o envolvimento com o projeto”.

No próximo ano letivo os “Pequenos Heróis” voltam à Chamusca numa nova versão (de várias possíveis) que permitirá reinventar a atividade. E volta também, ou começa de novo, em outras escolas onde, desde cedo, se aprende que é sempre possível mudar alguma coisa à nossa volta.